Indicadores apontam recuperação da indústria mineira

Segundo a Pesquisa Indicadores Industriais (INDEX) de julho, divulgada pela FIEMG nesta segunda-feira, 03/09, a Indústria Geral de Minas Gerais (Indústria Extrativa + Indústria de Transformação) convive com um processo de recuperação parcial. O faturamento caiu 5,3% entre junho e julho, mas a queda ocorreu após um aumento atípico de 28,9%³ no mês anterior. Contudo, o faturamento é positivo no acumulado do ano (3,9%), e o único indicador da pesquisa com tendência ascendente após a intensa deterioração da indústria observada durante a crise econômica recente. Os indicadores de emprego, massa salarial e rendimento médio real seguem exibindo resultados fracos, compatíveis com a estagnação das horas trabalhadas na produção.

Já o faturamento da Indústria Geral caiu 5,3% em julho, frente a junho, em razão do recuo de 8,8% na Indústria de Transformação. Por outro lado, o faturamento da Indústria Extrativa cresceu atipicamente (27,6%), minimizando a retração do índice geral. Em relação a julho de 2017, o indicador da Indústria Geral avançou 8,3% e, nos acumulados do ano e dos últimos 12 meses, cresceu 3,9% e 4,9%, respectivamente, com desempenhos positivos nas Indústrias Extrativa e de Transformação.

As horas trabalhadas da Indústria Geral cresceram 0,6% em julho, na comparação com junho, devido a igual aumento na Indústria de Transformação. Na Extrativa, houve leve recuo (-0,1%). Frente a julho de 2017, o índice da Indústria Geral avançou 1,7%. Entretanto, no acumulado do ano, caiu 1,3%, queda semelhante à dos últimos 12 meses (-1,2%). O desempenho foi influenciado pelos resultados negativos das Indústrias Extrativa e de Transformação.

A evolução do emprego nas Indústrias Extrativa e de Transformação segue registando resultados tímidos no ano. Em julho, o emprego da Indústria Geral avançou 0,3% frente a junho, influenciado pelo mesmo desempenho da Indústria de Transformação. Na Extrativa, o indicador ficou inalterado. No acumulado do ano, o índice geral permaneceu estável ante 2017 e, em 12 meses, acumulou queda de 1,6%.

O indicador de massa salarial real da Indústria Geral reverteu parcialmente a queda ocorrida em junho e aumentou 0,6% em julho, na comparação mensal. As elevações de 0,9% na Indústria Extrativa e de 0,6% na Indústria de Transformação explicaram o crescimento. Na análise dos últimos 12 meses o indicador também avançou (0,5%).

Clique aqui para ter acesso ao link da pesquisa completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.