Museu Cabangu luta para manter suas atividades

A Rádio Cultura há tempos se preocupa com a situação pela qual vem passando o Museu de Cabangu, há quase um ano atrás os jornalistas Sérgio Rodrigues e Alessandra Batista estiveram lá, antes das comemorações do 23 de outubro conversando com Tomás e Mônica Castelo Branco sobre a situação em que se encontrava o museu à época, e de lá pra cá nada mudou.

Na última segunda-feira (10), Tomás Castello Branco, presidente da Fundação Casa de Cabangu que é a organização mantenedora do museu, postou em suas redes sociais um vídeo em que fala sobre a atual situação do museu, e a possibilidade de fechamento se algumas questões não forem resolvidas.

Em uma entrevista exclusiva à Rádio Cultura nesta quinta-feira (13), Tomás contou com detalhes e muita emoção como está a atual situação do museu:

Com o grande incêndio do Museu Nacional que dilapidou grande parte da história não só do país mas da humanidade, nossos olhares se voltam mais uma vez para o Museu encravado na Serra da Mantiqueira, de importância internacional devido a grande relevância de seu filho ilustre para a humanidade. E a cada ano a esperança que chega com os agraciados da Medalha Santos Dumont se vai junto com elas:

Para se entender o momento em que passa o Museu de Cabangu é necessário antes entender como funciona a sua estrutura, que apesar de mantido pela Fundação Casa de Cabangu também recebe apoio da Escola Preparatória de Cadetes de Ar (Epcar) de Barbacena e também da Prefeitura Municipal de Santos Dumont:

Sem receber os repasses do acordo assinado com a prefeitura, os funcionários do museu estão com salários atrasados, e atualmente estão trabalhando sem receber, mas a situação está se complicando cada vez mais:

O governo do estado conta com o ICMS Patrimônio Cultural, um programa de incentivo à preservação do patrimônio cultural de Minas Gerais, por meio de repasse de recursos para municípios que preservam seu patrimônio e suas referências culturais através de políticas públicas relevantes. O programa busca também o fortalecimento dos setores responsáveis pelo patrimônio das cidades e de seus respectivos conselhos, uma vez que incentiva ações conjuntas entre estes e as comunidades locais. De acordo com o site da Fundação João Pinheiro, dentro da categoria de Patrimônio Cultural foram feito os seguintes repasses para o município:

Mês Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Total
Patrimônio Cultural 16.951,59 13.403,97 13.293,13 14.604,40 16.627,58 12.667,02 14.938,40 102.486,09

Mas de acordo com o presidente Casa de Cabangu, neste ano a prefeitura ainda não arcou com nenhuma das parcelas acordadas com a fundação:

A Fundação atualmente busca meios de conseguir manter o acervo e tem como projeto criar o “Amigos do Museu” para assim cada cidadão que se sentir sensibilizado com a situação do museu possa dar a sua ajuda:

O museu conta com alguns projetos, inclusive para restaurar partes que atualmente estão fechadas ao público, mas a falta de repasse da prefeitura faz com que os funcionários do museu não sendo pagos a Fundação fique inadimplente com as obrigações fiscais, o que inviabiliza a aprovação de recursos para tirar os projetos do papel:

O Museu de Cabangu guarda a história do homem Santos Dumont, não como o aeronauta que colocou o mais pesado que o ar em movimento. Sensibilizados a população busca maneiras de ajudar o museu:

Mesmo com problemas estruturais e financeiros o Museu de Cabangu atrai turistas, centenas de pessoas passam lá todos os meses.

A Rádio Cultura não vai deixar essa história morrer, que o fogo que consumiu o Museu Nacional possa acender em nós o amor pelo nosso patrimônio e que ele possa subsistir e servir de legado para aqueles que virão de nós.

Um comentário em “Museu Cabangu luta para manter suas atividades

  • 16 de setembro de 2018 em 00:57
    Permalink

    Bom Dia, isto é um absurdo o prefeito comprando vários carros zero para passeios de funcionários e fazendo a prefeitura um verdadeiro cabide de empregos ,deixando nossa história acabar deste jeito, também homenageando pessoas com medalhas que nunca fizeram nada para nossa cidade ,vamos dar medalhas para os diretores de várias fabricas e pequenos empresários de nossa cidade os quais geram empregos e renda para o municipio ,e não a qualquer um como ocorre á vários anos os prefeitos puxando o saco de autoridades que só querem aparecer com a comenda de santos dumont, sem nunca ajudar a nossa cidade. e aí betinho você é sandumonense ou não,vamos perder nosso unico museu , o qual está abandonado é uma vergonha para todos os sandumonenses a atual administração.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.